A Quinta do Matoutinho, anteriormente designada por solar de Francisco Coelho da Cunha ou também Quinta de S. Verão/Matoutinho está situada numa zona com forte componente rural, bem no coração do Baixo Mondego. A pouco mais de 20 Km da Cidade de Coimbra e 30 Km da Figueira-da-Foz, junto à histórica vila de Montemor-o-Velho encontramos a aldeia de Santo Varão onde predominam os solos provenientes de aluviões recentes, de origem fluvial, por vezes assentes sobre substratos de origem marinha. A principal cultura destas terras é o arroz mas o milho tem vindo a aumentar a sua área nas últimas duas décadas. É também predominante a criação de gado bovino, principalmente o touro bravo, fomentada pela Dinastia de Avis e cavalar, que remonta à Época da Reconquista Cristã.

Nesta região deparamo-nos com um património natural diversificado, desde as praias do litoral, dos lagos para os campos, das paisagens serranas aos arrozais, por entre muralhas e castelos, terra rica de lendas e histórias de reis e de rainhas, atravessada por um rio que separa as duas margens e nos leva à imensidão do Vale do Mondego. É aqui que encontramos Santo Varão e a Quinta do Matoutinho.

Não obstante dos hábitos e costumes do Baixo Mondego, foi sempre nossa missão preservar e continuar a lavoura dos nossos antepassados. Marcada por esta herança geracional, iniciada no tempo dos nossos avós nos finais do século XVIII, na Quinta do Matoutinho criavam-se cavalos e toiros, com ferro PLÁCIDO, único na região. A criação de cavalos, com especial destaque para o Ministério da Guerra e Remonta Francesa, constituiu uma das actividades principais da produção da Quinta, bem como a preparação de cavalos para recreio, lazer, trabalho e desporto.

Simultaneamente com esta actividade criavam-se toiros de lide, com cruzamento de sementais com vacas autóctones. Esta ganadaria satisfazia cerca de 60% dos curros lidados nas praças e capeias raianas. Das lezírias ribatejanas ao Norte do País, com especial destaque para a Praça de toiros da Nazaré, Tomar, Figueira da Foz, Abiúl, Porto, Vila do Conde, Póvoa do Varzim, Avô, etc.

O actual projecto da Quinta do Matoutinho, embora tenha tido o seu início no ano 2006, tem como missão dar continuidade a uma herança de gerações passadas, iniciada no tempo dos nossos avós, marcada pelos últimos 35 anos de actividade dos nossos Pais e agora estabelecida e organizada numa Sociedade Agrícola que resulta da integração da firma Bonitos Lda, Agricultura e Pecuária na Sociedade Agrícola da Quinta do Matoutinho.